As algas do Báltico mantem elementos radioativos de Chernobyl

As algas do Báltico mantem elementos radioativos de Chernobyl

Um trabalho desenvolvido pelos membros do grupo de Espectrometria de Massa com Aceleradores do Centro Nacional de Aceleradores (CNA), em Sevilha, analisou os níveis de plutônio (Pu-239 e Pu-240) e iodo (I-129) em algas procedentes do Mar Báltico.

Os pesquisadores confirmaram a existência de altos níveis de radionuclídeos antropogênicos devidos ao acidente de Chernobyl, em 1986, e as descargas de radionuclídeos a partir da planta de reprocessamento de Sellafield (Reino Unido). Os resultados foram publicados na revista Applied Radiation and Isotopes.

Mais informação:http://acdc.sav.us.es/cna/index.php/es/noticiasyeventos/notasprensa/562-10-2014

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.