O krill da Antártida pode ser fortemente afetado pelo aquecimento

O krill da Antártida pode ser fortemente afetado pelo aquecimento

Uma análise realizada utilizando dados estatísticos e conduzido por cientistas do British Antarctic Survey e Plymouth Marine Laboratory, indica que o krill da Antártida tem uma enorme sensibilidade à mudança climática. O krill é formado por crustáceos do ordem Euphausiacea de 3 a 5 centímetros de comprimento, muito abundante nas águas da região, e é a principal fonte de alimento para baleias, focas, pinguins e peixes da Antártida. A sua enorme importância na cadeia trófica levou os cientistas a investigar a sua resposta à mudança climática.
O crescimento do Krill depende da temperatura da superfície do mar e do alimento disponível. O estudo concluiu que, se o aquecimento continuar, o crescimento do krill poderia reduzir em 20%, podendo essa redução chegar aos 55% em algumas áreas.

Mais información: http://www.antarctica.ac.uk/press/press_releases/press_release.php?id=2283

Magazine Oceano não é só este site, mas também uma revista mensal.
Leia a última edição grátis (a sétimo) em: http://issuu.com/cuerpo8/docs/magazineoceano_7

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.